Pular para o conteúdo

DPPE presente em reunião do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Pernambuco (CEDIM)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Na terça-feira (12), a Defensoria Pública de Pernambuco marcou presença em mais uma reunião do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Pernambuco (CEDIM), realizada na sede do CEDIM, situada no bairro do Recife, região central da capital.

No encontro, estiveram presentes representantes de diversas Secretarias e órgãos estaduais voltados para os direitos das mulheres, além de membros da sociedade civil engajados na causa. A reunião também contou com a presença da defensora pública, Débora Andrade, Coordenadora do Núcleo Especializado de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (NUDEM).

O ponto central da discussão foi o sistema prisional feminino, com especial atenção aos direitos humanos das mulheres trans e travestis que se encontram nas unidades carcerárias. Camilla Iumatti, conselheira representante da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), trouxe à tona dados relevantes sobre essa parcela da população em situação de cárcere, destacando as principais questões relacionadas ao tema.

A defensora pública Débora Andrade, enfatizou a necessidade de uma abordagem mais abrangente e humanizada para lidar com as questões enfrentadas pelas mulheres encarceradas, especialmente aquelas que são trans e travestis. “As mulheres trans e travestis encarceradas estão hipervulneráveis no sistema: além do abandono parental que já sofrem as mulheres que cumprem pena privativa de liberdade, ainda não isoladas dentro do próprio ambiente carcerário. Suas necessidades precisam de maior atenção, especialmente na criação de mecanismos contra a violência de gênero e a transfobia que estão expostas enquanto estão sob a custódia do estado”, explicou a coordenadora do NUDEM.

Notícias Recentes

Siga-nos

Notícias Mais Lidas

Quem Somos

A Defensoria Pública do Estado de Pernambuco é o órgão que cumpre o DEVER CONSTITUCIONAL DO ESTADO de prestar assistência jurídica integral e gratuita à população que não tenha condições financeiras de pagar as despesas de um advogado. Essa gratuidade abrange honorários advocatícios, periciais, e custas judiciais ou extra-judiciais.

Canais de Comunicação

Agendamento da Capital:
Redes Sociais:

© 2023 Todos os direitos reservados

Skip to content