Pular para o conteúdo

Defensoria Pública de Pernambuco participa da XVII Jornada Lei Maria da Penha

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

A Defensoria Pública de Pernambuco participou, entre os dias 7 e 8 de agosto, da XVII Jornada Lei Maria da Penha, promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), na Escola Superior da Magistratura do Ceará (Esmec)..

A instituição foi representada pela Coordenadora do Núcleo de Defesa da Mulher (NUDEM), Defensora Débora Andrade, e pela subcoordenadora do NUDEM, Defensora Mayara Cordeiro.

Segundo a coordenadora do NUDEM, Débora Andrade, a participação de Defensoras Públicas em eventos dessa temática é de extrema importância para a Instituição. “Durante a XVII Jornada Lei Maria da Penha, tivemos discussões com os demais atores do Poder Judiciário e, com isso, ajudamos na construção de uma justiça mais protetiva e eficaz para a mulher em situação de violência. Na carta realizada ao final do evento, onde são apresentadas as propostas de ação para aprimorar a Política Judiciária Nacional, foi aprovado o enunciado 6, de extrema relevância para as Defensorias Públicas, o qual destaco: ‘A assistência jurídica qualificada, prevista nos artigos 27 e 28 da LMP, é direito das vítimas diretas e indiretas de feminicídio e de outras formas de violência doméstica e familiar contra a mulher e não se confunde com a figura da assistência da acusação, abrangendo a formulação de perguntas e participação ativa no processo, conforme Recomendação 33 da CEDAW (Convenção sobre a eliminação de todas as formas de discriminação contra as mulheres)”, frisou.

A Jornada contou com oficinas que abordaram aspectos relevantes sobre a aplicação do Formulário Nacional de Avaliação de Risco; boas práticas e mecanismos para o fortalecimento da rede de proteção à mulher; o papel da assistência jurídica da mulher em contexto de violência doméstica e familiar no Tribunal do Júri; e a importância dos grupos reflexivos para a prevenção da violência doméstica.

Vale ressaltar que o Núcleo Especializado de Defesa da mulher vítima de violência doméstica e familiar da Defensoria Pública do Estado do Pernambuco tem como objetivo consolidar e garantir o acesso à justiça para as mulheres em situação de vulnerabilidade.

Notícias Recentes

Siga-nos

Notícias Mais Lidas

Quem Somos

A Defensoria Pública do Estado de Pernambuco é o órgão que cumpre o DEVER CONSTITUCIONAL DO ESTADO de prestar assistência jurídica integral e gratuita à população que não tenha condições financeiras de pagar as despesas de um advogado. Essa gratuidade abrange honorários advocatícios, periciais, e custas judiciais ou extra-judiciais.

Canais de Comunicação

Agendamento da Capital:
Redes Sociais:

© 2023 Todos os direitos reservados

Skip to content