Pular para o conteúdo

Defensoria Pública de Pernambuco Divulga Relatório sobre Violência Institucional em 2023

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

No dia 29 de maio, a Defensoria Pública do Estado de Pernambuco, através do Núcleo de Defesa e Promoção de Direitos Humanos (NUDPDH) e a Ouvidoria, apresentou no auditório da sede da instituição o Relatório de Comunicações e Informações sobre Casos de Violência Institucional, Tortura e Outros Tratamentos ou Penas Cruéis, Desumanos ou Degradantes referente ao ano de 2023.

O relatório, que sistematiza e compila as denúncias de violência institucional recebidas pela Defensoria, seja por atendimentos diretos, comunicações de outros órgãos ou audiências judiciais (especialmente audiências de custódia), está dividido em dois blocos principais. O primeiro bloco foca nos registros de violência institucional realizados durante audiências de custódia na cidade do Recife, entre janeiro e dezembro de 2023. O segundo bloco aborda as comunicações de violência enviadas por defensores públicos de todo o estado ao Núcleo, detalhando as medidas adotadas pela Defensoria e as respostas obtidas.

Dados Preocupantes

O relatório revela dados preocupantes sobre a violência institucional. Em 2023, foram analisadas as atas de 3.875 audiências de custódia no Recife, das quais 535 (13,80%) tiveram relatos de violência cometida por agentes do estado. Este percentual variou mensalmente, atingindo um pico de 21% em março. Em média, há pelo menos um relato de violência por dia útil, podendo chegar a mais de dois relatos em alguns meses.

Perfil das Vítimas

A maioria das vítimas que relatou violência em audiências de custódia são homens (95,34%), jovens entre 18 e 24 anos (43,26%) e pessoas negras ou pardas (77,03%). Estes dados indicam um padrão preocupante, refletindo questões estruturais de racismo e discriminação.

Medidas Adotadas e Respostas Obtidas

O relatório também detalha as medidas adotadas pela Defensoria Pública em resposta às comunicações de violência. Foram analisados os exames e laudos traumatológicos realizados, com um aumento na disponibilidade desses laudos antes das audiências, atingindo 72% em 2023. No entanto, ainda há casos em que os laudos não são disponibilizados, o que prejudica a comprovação das agressões.

Conclusão

Este é o segundo relatório anual sobre o tema, o primeiro tendo sido divulgado em 2023 com dados de 2022. A continuidade da publicação destes relatórios visa dar visibilidade às denúncias de violência institucional e promover a articulação de diferentes atores na luta contra a violência praticada por agentes do estado. A Defensoria Pública de Pernambuco reafirma seu compromisso na defesa dos direitos humanos e na busca por justiça e dignidade para todas as pessoas.

Notícias Recentes

Siga-nos

Notícias Mais Lidas

DPPE INFORMA

COMUNICADO IMPORTANTE A partir desta sexta-feira (23) até o dia 30 de junho, a Defensoria Pública de Pernambuco funcionará em regime de plantão. O atendimento

Leia Mais »

Quem Somos

A Defensoria Pública do Estado de Pernambuco é o órgão que cumpre o DEVER CONSTITUCIONAL DO ESTADO de prestar assistência jurídica integral e gratuita à população que não tenha condições financeiras de pagar as despesas de um advogado. Essa gratuidade abrange honorários advocatícios, periciais, e custas judiciais ou extra-judiciais.

Canais de Comunicação

Agendamento da Capital:
Redes Sociais:

© 2024 Todos os direitos reservados

Pular para o conteúdo