Pular para o conteúdo

ATUAÇÃO DA DEFENSORIA PÚBLICA DE PERNAMBUCO PRESERVA SAÚDE FÍSICA E MENTAL DE GESTANTE EM CARUARU

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Na cidade de Caruaru, Região Agreste do Estado, a Defensoria Pública de Pernambuco patrocinou ação em favor de uma gestante que estava sofrendo, física e psicologicamente, em razão de o feto padecer de Pan-Hidranencefalia.

 Com efeito, durante os exames pré-natal, em um dos procedimentos de ultrassonografia, foi constatado que o feto padece de Pan-Hidranencefalia, condição incomum na qual os hemisférios cerebrais encontram-se ausentes e preenchidos por sacos de LCR (líquido cefalorraquidiano). Tal patologia é incompatível com a vida e o prolongamento da gestação, no caso, poderia acarretar diversos e sérios problemas para a genitora, tanto de ordem física quanto psicológica. Razão pela qual a interrupção da gravidez era necessária.

 O caso contou com a atuação do Núcleo da Defensoria Pública em Caruaru, por meio do Defensor Público Wesley Borges, titular da Defensoria Pública junto à Vara do Júri daquela comarca.

 Em apenas 48 horas após o ajuizamento da demanda, a Instituição obteve uma sentença favorável à gestante, o que demonstra um alto nível de celeridade e comprometimento dos sujeitos envolvidos à dignidade da pessoa humana.

 Segundo o Defensor Público Wesley Borges, “A rapidez para a resolução do caso só se concretizou devido à articulação dos integrantes do Sistema de Justiça, ou seja, Defensoria Pública, Poder Judiciário e Ministério Público.”

 Atuaram no caso a Juíza Mirella Patrício da Costa Neiva, titular da Vara do Júri de Caruaru, e os Promotores de Justiça Hugo Eugênio e Vinicius Costa e Silva.

 “Os processos costumam demorar em razão da necessidade de comunicação dos atos processuais, intimações, manifestações etc. Contudo, no presente caso, todas as instituições envolvidas não mediram esforços para resolver a situação de maneira rápida e justa, inclusive, trabalhando no final de semana, pois a demanda foi ajuizada em um domingo e no mesmo dia a juíza já despachou o processo, dando vistas ao Ministério Púbico, que também prontamente ofertou seu parecer. Com certeza, a organização, comprometimento e bom relacionamento entre Poder Judiciário, Defensoria e Ministério Público foram fundamentais para a resolução do caso em tempo recorde”, frisou o Defensor Wesley Borges.

 O fundamento para a ação foi a analogia à ADPF 54, que julgou possível a interrupção terapêutica do parto de fetos anencefálicos, bem como um precedente do STJ no HC 51.982-SP, e o objetivo da autorização era resguardar a gestante e os médicos para que estes não pudessem, futuramente, vir a responder a uma ação penal por crime de aborto, pois, em situações extremas como esta, o ordenamento jurídico permite a interrupção da gestação.

 Conforme assentou a magistrada, Dra. Mirella Patrício.

Galeria de Fotos

Notícias Recentes

Siga-nos

Notícias Mais Lidas

Quem Somos

A Defensoria Pública do Estado de Pernambuco é o órgão que cumpre o DEVER CONSTITUCIONAL DO ESTADO de prestar assistência jurídica integral e gratuita à população que não tenha condições financeiras de pagar as despesas de um advogado. Essa gratuidade abrange honorários advocatícios, periciais, e custas judiciais ou extra-judiciais.

Canais de Comunicação

Agendamento da Capital:
Redes Sociais:

© 2022 Todos os direitos reservados

Precisa de
Atendimento?

Escolha entre as ferramentas disponíveis abaixo para continuar.

Skip to content